Pastoral | Saúde

Coordenador(a): Roseli Aparecida

DEFINIÇÃO

Pastoral da saúde é a presença da Igreja no mundo da saúde, lutando para que haja mais vida plena para todos, tornando-se presente no mundo da saúde a ação libertadora de Jesus, onde o trabalho junto aos doentes possa lhes dar sentido a uma atitude de fé e esperança.

OBJETIVO GERAL

I. Conscientizar a comunidade paroquial para uma pastoral preventiva. Tornando a ação Evangelizadora da Igreja presente, pela solidariedade;

II. Cuidar dos doentes em domicílios e nos hospitais, e também interessando por aqueles que os assistem: profissionais da saúde, familiares, agentes pastorais e voluntários, dando-lhes uma visão cristã da vida e do sofrimento humano;

II. Participar das campanhas de saúde pública, saneamento básico e outras atividades em prol da saúde;

IV. Organiza cursos e encontros para os que desejam trabalhar na pastoral da Saúde;

OBJETIVO ESPECÍFICO

I. Formação de agentes para visita domiciliares aos enfermos;

II. Organizar cursos, retiro e encontros para candidatos a agentes da pastoral;

III. Celebrar datas especiais relacionadas a saúde;

IV. Ser uma presença confortante junto aos doentes da paróquia

IV. Atuar junto aos órgãos e instituições públicas reivindicando melhores condições de saúde para o povo;

VII. Zelar pela evangelização e humanização das instituições públicas de saúde;

VIII. Atender os doentes nas casas e, nos hospitais fazendo visitas e os acompanhando-os;

IX. Buscar nos órgão públicos, e junto aos profissionais da saúde apoio para os casos acompanhados;

IX. Denunciar as situações de cuidados precários de saúde, mal atendimento nas instituições de saúde, e esclarecer aos doentes e familiares de seus direitos,

X. Promover encontros de formação e reciclagem de agentes da pastoral;

XI. Assistir os doentes com a Palavra de Deus e a Eucaristia, quando este for católico e estiver desimpedido;

XII. Zelar e manter em disponibilidade com os devidos recursos a farmácia comunitária;

XIII. Cuidar para que nos casos de óbitos não falte o conforto da palavra e oração, através da celebração das exéquias;

XIV. Orientar os familiares dos doentes, quanto as condições precárias quando encontradas;

XV. Envolver as famílias omissas nos cuidados com os seus doentes;

XV. Verificar entre os doentes assistidos aqueles que estão necessitados de confissão e unção e prepará-los para receber o sacramento;

XVII. Conscientizar a comunidade paroquial, através das missas, nas catequeses e encontros das outras pastorais, a necessidade de tornar-se também agente da pastoral da saúde.


Desenvolvido por CMC Multimídia